10/05/2015

POR ONDE ANDA G. VIEIRA?


POEMA DE SÉRGIO LIMA SILVA
 
 
será que a palavra o abandonou
e o deixou no meio do deserto
da pele de algum desconhecido perto?
será que a cicatriz da sua boca fechou
e não há como sangrar sua fala?
será que o seu corpo assumiu a forma
que não se pode dizer nesse momento
e se transformou em pensamento?
será que as praias o tornaram parte
ao ministrar aulas de ondas
entre as suas pregas?
será que a dor abriu e o engoliu
como se a dor sentisse mais fome
do que o próprio nome?
será que se tornou uma esfera
e está rolando como rolam as perdas?
Será que anda utilizando outras ancas?
Será que é eterno e o olhar de perto
De quem é efêmero não o enxerga?

 

 
Postar um comentário