22/08/2015

MAIS OS MENOS


nada sempre mais
grave alegre e acre
tudo mais os menos
repetem o massacre 

nada sempre mais
real que nossos ossos
tudo mais os menos
no amor e nos bolsos 

nada sempre mais
na paz que se revolta
tudo mais os menos
contam a vida em gotas 

tudo ao menos mais
nada mais somenos
o poder dos mais
o querer dos menos
Postar um comentário