18/08/2015

POEMASSOMBROSO


minha sombra
há de passar
a pé de per si
descalça perto daqui
a cantar como sabiá
pra se ouvir
o que não se sabe
há de passear
pelas sombras
das palmeiras
que já não há
sem fazer barulho
esguia e maquiada
cheia de orgulho
como se estivesse
mal-assombrada
minha sombra
livre do meu corpo
a me levar ao topo
mais alto da vida
e de lá me lançar
num trato sem troco
cansada de ser tudo
e mais um pouco
disso que me sombra
Postar um comentário