02/11/2015

AOS VIVOS



deponho meus mortos
esqueço-os para que vivos
contem seus restos de ossos
em seus gélidos silêncios
ecoantes sobre o túmulo
que acumula esses vivos
tão próximo dos mortos
Postar um comentário