03/12/2015

ESCÁRNIO


gosto quando me mordes
sob os acordes do meu escárnio
e porque também és carne
contrario a tua ordem
de me quereres a priori
retalho-te em meus desejos
cego o amor que não vejo 

gozo com tua mandíbula
buliçosa de palavras e fúrias
e porque também és fera
em círculos teu cheiro me apodera
de júbilos e nesse escárnio
me festejas num escarro
Postar um comentário