13/08/2016

ÂMAGO


quando tu tanto
carne penetras
eu quanto secreta
anima me estanco

é tudo tão âmago
poço onde me tranco
até sentir o amargo
que me alarga lhano


Postar um comentário