16/12/2016

MANEQUINS


ainda não me sei
vestido no teu corpo
como vestes tua beleza
nas roupas sujas do mundo
ainda não me vesti
da tua pele costurada
nos modelos de vida
precisamos provar
nossas camisas de força
coser pregas no coração
alinhavar nossos desejos
à nudez disfarçada de moda
e desfilar nossa emoção

LEVE


apreendo na tarde o silêncio
de ouvir pássaros, a casa
toda contorcida  de desejos
o tempo sem as mãos

sobre a rede
dispenso os atavios do mundo
assim me sinto fasto navio
leve ancoradouro