16/12/2016

LEVE


apreendo na tarde o silêncio
de ouvir pássaros, a casa
toda contorcida  de desejos
o tempo sem as mãos

sobre a rede
dispenso os atavios do mundo
assim me sinto fasto navio
leve ancoradouro

Postar um comentário