30/03/2017

VOCÊ E EU PROFUNDOS



não me ame demais
eu preciso de livre viver
me ame apenas
até onde pode ser
não me queira mais
do que eu me tenho
não me deixe sem mim
preciso-me até o fim
aliás, somos dois
nunca um é demais
então se deseje mais
do que eu e você juntos
estaremos inteiros e justos
consigo e comigo
você e eu profundos 

NIMBO



mesmo que seja por receio
de manchar o teu nimbo
fervo por dentro e te lambo
os dentes da alma que te tranca
e por puro respeito arrombo
a pesada porta que comportas;
se assim profano tua casta
há de ser engano esse tal paraíso
pois o acaso nos legará ao limbo

ABSTRATO


quero desse absurdo
a tua flor mais remota
da palidez dessa dor
toda possível derrota
quero como abstrato
tua cor estranha inexata
e que o cheiro dessa realidade
até um cão faminto a despreze
e a faca extrema da beleza
doa e sangre em quem se preza

28/03/2017

UMA MANHÃ ALVA E JACTA


eles escaparão pelas frestas, pelos ralos
pelos becos da noite, pelas bocas de lobo
e dos caixas como autênticos caxias
pelos tantos e quanto negarem
eles ainda se acharão grandes, apesar das grades
e pousarão com suas faces opalescentes
como os melhores ímpios ainda mais limpos
irão beber do mesmo sangue nosso
comer nossa carne nos deixando ossos
e farão nascer uma manhã alva e jacta 
como se nos coubessem todas as tempestades
e de nada soubéssemos ainda que tarde

05/03/2017

PASSEIO MATINAL


os homens passam
com suas mulheres tristes
marcham solenes
como quem resiste
ao sol da derradeira manhã
pesam em seus corpos
suas caras invisíveis
às suas mulheres trastes
desses homens impassíveis
passageiros das novas ilusões
pasmam em vão, se revoltam
os homens com toda derrota
hão de passar desta manhã
para a noite ultimada