30/03/2017

ABSTRATO


quero desse absurdo
a tua flor mais remota
da palidez dessa dor
toda possível derrota
quero como abstrato
tua cor estranha inexata
e que o cheiro dessa realidade
até um cão faminto a despreze
e a faca extrema da beleza
doa e sangre em quem se preza

Postar um comentário