10/06/2017

REINO


acordar pássaro
sobre a floresta tenebrosa
dos homens, sol nos olhos
água fresca rindo do tédio
fazer cócegas e graça nos pés
da vida que passa quanto destroça
comer cogumelos como palavras
aos poucos gastar teu gosto na boca
ter manhãs na claridade do quintal
onde nos plantamos sementes
para outro alimento, um jeito de ser
mineral até tornar vegetal
o animal que nos persegue
Postar um comentário